Principal

Com a crise do modelo urbano-industrial de desenvolvimento que está gerando cada vez mais desemprego e degradação do meio ambiente, sem falarmos nos problemas com a qualidade dos alimentos e da saúde da população, a discussão sobre a agricultura familiar sai das margens das teorizações sociológicas, passando a ocupar um lugar central no pensamento social contemporâneo, e isso mesmo em países desenvolvidos como a Inglaterra e a França. A Agricultura Familiar está presente no mundo todo de forma expressiva. Mesmo no Brasil, onde a concentração de terras é uma das maiores do mundo, de um total de 4.859.864 estabelecimentos rurais, 4.139.369 são familiares. São esses dados que fundamentaram a criação do nosso núcleo.
O Núcleo de Estudos Sobre Agricultura Familiar é coordenado pela professora Dra. Maria Ignez Paulilo e está lotado no Departamento de Sociologia e Ciência Política da UFSC. Começou a existir em 1998 e foi oficializado em 1999. Este núcleo procura estudar em profundidade a agricultura catarinense, sendo que entre seus esforços estão constantes saídas a campo. Durante estas saídas são contatados em grande parte, mas não exclusivamente, agricultores de Santa Catarina e integrantes de movimentos sociais que reconhecem a importância da agricultura familiar. Atualmente o núcleo abriga o projeto “Que Feminismo é esse que brota na horta?”, financiado e apoiado pelo CNPq. No NAF, estão presentes bolsistas, orientandos de graduação e pós-graduação e outros alunos interessados no tema, os quais, realizam pesquisas em áreas afins ao projeto.